AINDA ASSIM EU TE VEJO

     EU VEJO…

Por entre cálculos,
Hipotenusas, catetos,
Teorias de séculos,
Concreto e tantos projetos.

Em meio à massa, argamassa,
Reboco, pastilha, azulejo,
Aquela pilha de tijolo, devassa,
Em meio a tudo isso, eu te vejo.

Vejo tua graça, teu semblante sereno,
Vejo o que arquiteta o destino,
Não importa o tijolo, o seno, o cosseno.
Ainda assim eu te vejo.

Te vejo com sorriso, com enlevo,
Te vejo com saudade e emoção,
E por fim vejo teu completo relevo,
E isso acalma este pobre coração

           Mauricio Bressan Junior
                 04/04/2013

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s