TALVEZ, A VIDA…

     TALVEZ, A VIDA…

Se a força infinita que em meu peito pulsa,
Puder conter a avalanche que em meu ser explode,
Terei paz, talvez. Talvez pura inquietude,
Talvez serena dor em minha mente impune.

Se eu puder caminhar ereto o estreito caminho da vida,
E em toda a estrada puder ver o horizonte,
Quem sabe encontre um dia, talvez, a serenidade,
Quem sabe, talvez, em meu ser habitem mansidão e quietude.

Se de tudo puder provar, sem em nada me ater,
Se, da vida, souber colher o ensinamento da ventura de viver,
E se souber ser crítico da minha vida, sem a corromper,
Então serei bendito, serei, talvez, um ser.

Quem sabe, a vida, mais doce me prepare o fel amargo,
Talvez o homem que sou, saiba punir sem ser carrasco,
Saiba tratar o ser amigo, com a brandura de um afago,
Sem ser infinito, mas sendo humano, sendo vivido, sem ser ufano.

                        Mauricio Bressan Junior
                              28/06/1982

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s