JUVENTUDE

Quando a infância fica distante, e as paixões de criança ficam sem graça, nossos sentimentos clamam por uma emoção mais forte, mais madura.
Na juventude, somos mais atrevidos, mais ousados, e queremos (ou pensamos querer) um amor eterno, um amor definitivo; principalmente quando tínhamos 17/18 anos, e pensávamos ter descoberto o mundo, e nada podia nos deter. Senhores do mundo, sem o ser, declarávamos nossas paixões, sem receios ou subterfúgios, sem rodeios e sem vergonha.

DEIXE

Deixe que a tarde morra,

Deixe que o sol desapareça,

A lua, linda, venha calma,

E então, suave a noite caia.


Suave como uma pluma,

Adorável como uma duna,

De branca areia do deserto,

De macio sopro de espuma.


Depois, eu e você,

Nas luzes azuis da noite,

Nos raios de luz da bela lua,

Nos bancos dos jardins.


Enfim, eu e você,

Sós como a estrela matutina,

Juntos como as três Marias,

Contemplando o céu.


Deixe que eu diga: eu te amo,

Deixe que eu siga teu abandono,

Deixe que eu chore,

Pra depois ter o teu consolo.


Deixe que eu busque teu sabor,

Que eu queira o teu querer,

Que eu sinta o teu calor,

E abraçados, te faça adormecer.


Deixe tudo que tem teu passado;

Ele não deve mais importar,

Venha que estou no teu presente,

Presente, ansioso a te esperar.


Deixe que se unam nossas forças,

E num beijo macio, com ardor,

Se unam, ansiosas, nossas bocas,

Deixe, enfim, que se una nosso amor.

Mauricio Bressan Junior

13/09/1966

Mas quando a paixão terminava e cada um ia para o seu canto, o que restava era a saudade…

SAUDADE


Saudade,

Dor latente;

Dor que a gente sente,

Sente, mas não vê.

É uma dor esquisita,

Parece parasita,

Só quer na gente viver,

Não quer da gente esquecer.


É uma dor que não dói,

Não faz ferida.

E não sei por que,

Quando a gente tem saudade,

Sente algo arder,

Arder em desejo,

Desejo de ver,

Ver quem saudade nos fez ter.


Saudade, que é a vontade

De outra vez esse alguém ter,

Sentir, pegar, apalpar,

E não mais separar,

Não mais deixar esse alguém partir,

Não mais deixar esse alguém morrer.


Saudade, dor ausente,

Dor sem sentir doer.

Porém é uma dor que nos faz sofrer,

Nos faz chorar e gritar,

Chamar o nome de alguém.


Saudade é a dor que se sente,

Sem mesmo a gente querer,

Fazendo de tudo pra não sofrer,

Fazendo de tudo pra esquecer.


Mas saudade não se esquece,

Saudade só se sente;

Sente-se saudade de alguém,

Alguém que só nos deixou saudade.

Esquecer saudade não se pode,

Porque saudade… é saudade.

Mauricio Bressan Junior

Setembro/1966

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para JUVENTUDE

  1. Flávia Mattos disse:

    Maurício,
    Seus poemas são realmente lindos! Não merecem ficar guardados ou esquecidos no tempo…
    Parabéns pelo Blog!! Vai ser um sucesso!!
    Flávia

  2. Maria Amélia Bressani Palmieri disse:

    Parabéns querido. Como pode dizer com tanta suavidade temas carregados de energia como Juventude e Saudade. Cada vez mais te admiro meu primo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s